Mostrando postagens com marcador Notícias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Notícias. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Queiroga recomenda 3ª dose apenas com vacina da Pfizer, única vacina que já tem o registro definitivo na Anvisa

Queiroga afirmou que vacinas sem aprovação definitiva não devem ser aplicadas como terceira dose - AG SENADO

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a pasta não recomenda o uso da CoronaVac para aplicação da terceira dose da vacina contra a covid-19 - tampouco da AstraZeneca e da Janssen. Segundo Queiroga, o recomendado é que a aplicação seja feita preferencialmente com a Pfizer, a única vacina que já tem o registro definitivo na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“É necessário que haja a aprovação dos imunizantes para aplicação nestes grupos específicos, não podemos colocar qualquer imunizante. Só tem um deles com aprovação [definitiva] da Anvisa”, afirmou à CNN Brasil.

“E se não tiver a aprovação da Anvisa nós não vamos aplicar através do PNI. Vou deixar bem claro: aprovação da Anvisa. Vamos avançar com a dose de reforço nesses grupos e, se as pesquisas apontarem para necessidade desse reforço no restante da população brasileira, faremos isso até o final do ano”, declarou Queiroga.

Segundo a fala do ministro, não seria recomendado usar nenhuma vacina além da Pfizer, já que a AstraZeneca e a Janssen tampouco contam com o registro definitivo na Anvisa.

“Não só Coronavac, mas qualquer uma das vacinas que não tenham o registro da Anvisa não serão utilizadas por uma questão de segurança da população”, afirmou Queiroga. “O nosso PNI é respeitado mundialmente, a escolha da Pfizer não foi feita pelo ministro, foi feita pelo grupo técnico [do Ministério da Saúde].”

Segundo o Ministro da Saúde, se for necessário, o país vai comprar mais doses da vacina da Pfizer.



Fonte: Yahoo


segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Riachuelense disputará maior campeonato de fisiculturismo do Brasil em Natal; Brasileirão NABBA 2021.

O fisiculturista riachuelense Tony Edson é um dos participantes do NABBA 2021 em Natal

O jovem fisiculturista Tony Edson, de 26 anos da cidade de Riachuelo - RN, disputará no próximo dia 18 de setembro de 2021, há uma vaga entre os melhores fisiculturistas do país que participam das maiores competições de fisiculturismo no Brasil, o Campeonato Brasileirão NABBA que irá selecionar vários competidores de várias categorias, em um seletivo internacional. 

O Riachuelense de 26 anos já participou anteriormente de outros campeonatos, e está confiante em enfrentar mais este que tem uma grande expressividade em todo país.

NABBA Internacional: É a mais antiga representante do Bodybuilding mundial ainda atuando, sem interrupção, desde 1948, na Inglaterra. É uma organização unificada e forte para competir, divulgar e reconher os atletas.

Tony, e sua namorada e companheira Tereza Moura treinam juntos.


O evento no RN, acontecerá no dia 18 de setembro na capital potiguar, no Praiamar Natal Hotel & Convention localizado em Ponta Negra, sábado, às 14:00HS. Esse é o maior evento já realizado no RN, e garante vagas para o internacional, recebendo participantes de todos os lugares do país.

Para arcar com algumas despesas necessárias para participar desse campeonato, entre passagem, e a inscrição que custa o valor de R$350,00, Tony Edson está recebendo apoio da Prefeitura Municipal de Riachuelo em nome do Prefeito Joca Basílio e da Secretaria de Esportes que tem a frente Ivam Fernandes.

O Blog Ricardo Bevenuto, e todos nós Riachuelenses desejamos muito boa sorte, e ficamos muito orgulhosos do nosso conterrâneo Tony, pois sabemos de toda sua luta e toda a sua dedicação em busca dos seus sonhos e de alcançar seus objetivos. Um jovem batalhador e de um grande caráter. Emanamos boas vibrações e energias positivas com a fé de que tudo já deu certo, e estamos todos na torcida. Deus no controle! E rumo a sua vitória!



 

sexta-feira, 6 de agosto de 2021

Após morte do filho, Walkyria Santos e César Neto pedem Lei para punir haters da internet

Walkyria Santos e César Neto pais do garoto Lucas Santos lançam campanha
pela aprovação de lei que penalize haters - Foto: Instagram

Os cantores Walkyria Santos e César Neto, pai do garoto Lucas Santos, de 16 anos – morto nesta semana após sofrer ataques nas redes sociais – iniciaram uma campanha nas redes sociais pela aprovação de um projeto de lei de iniciativa do deputado Julian Lemos (PSL-PB) que criminaliza a prática de “haters” nas redes sociais.

O objetivo da proposta é instituir uma pena de até quatro anos de prisão, além de multa, para quem disseminar ódio ou proferir comentários discriminatórios de qualquer natureza que causem danos à integridade psíquica da criança e do adolescente. A responsabilização civil e criminal se dará, segundo o PL, para aqueles que por ação ou omissão efetuarem essa prática em redes sociais ou quaisquer meios que facilite a sua propagação.

Além disso, segundo o projeto, comentários racistas, xenófobos, misóginos ou qualquer outro que cause dano à integridade psíquica da criança e do adolescente, não excluídos pelas plataformas digitais, poderão levar a diretoria das redes a responder criminalmente, segundo o PL.

#LeiLucasSantosJá

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Walkyria Santos perde filho após vídeo publicado no Tik Tok e faz alerta para o perigo da internet

Walkyria Santos e o filho, Lucas (Foto: Reprodução/Instagram)


A cantora de forró Walkyria Santos, que perdeu o filho de 16 anos, Lucas Santos, falou sobre a morte do rapaz na noite desta terça-feira (3). Em um vídeo publicado em seu Instagram, a artista contou aos prantos que Lucas, que foi encontrado sem vida em casa, em Natal (RN), se matou após receber comentários maldosos por um vídeo que publicou no TikTok - ele foi encontrado morto em casa e era o filho do meio da cantora, mãe ainda de Bruno, de 20 anos, e de Maria Flor, de 10.

A morte de Lucas foi confirmada em um comunicado publicado no Instagram. "Infelizmente hoje o mundo da Família Santos está cinza. Lucas, filho da Walkyria, já não se encontra entre nós. O coração da Walkyria e toda sua família está em pedaços. Essa é uma dor que nenhuma mãe quer passar. Neste momento, pedimos que respeitem o luto e que orem e mandem boas energias para Walkyria e toda sua família. Agradecemos a todos os fãs e amigos pelas mensagens positivas. O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito abatido. Salmos 34:18. Lucas agora está ao lado de Deus", dizia a mensagem.

Em conversa com o portal Meio Norte, o sócio e empresário da cantora, Alexandre César, confirmou a notícia, e pediu aos fãs que orassem pela a cantora para que que ela encontre forças neste momento tão delicado.

"Hoje eu perdi meu filho, mas preciso deixar esse sinal de alerta aqui. Tenham cuidado com o que vocês falam, com o que vocês comentam. Vocês podem acabar com a vida de alguém. Hoje sou eu e a minha família que choram", disse. "Eu te amo pra sempre meu filho Lucas Santos, eu te amo", afirmou ela chorando.

Walkyria explicou a situação no vídeo. "Hoje, dia 3 de agosto de 2021, eu perdi meu filho, uma dor que só quem sente vai entender. E isso é sobre o último post que eu havia feito, os comentários. Ele postou um vídeo no TikTok, uma brincadeira de adolescente com os amigos, e achou que as pessoas fossem achar engraçado, mas não acharam, como sempre as pessoas destilando ódio na internet. Como sempre as pessoas deixando comentários maldosos. Meu filho acabou tirando a vida. Eu estou desolada, eu estou acabada, eu estou sem chão", desabafou.

"Mas estou aqui como uma mãe pedindo para que vocês vigiem e fiquem alerta. Eu fiz o que pude. Ele já tinha mostrado sinais, eu já tinha levado a psicólogo, mas foi isso, foram só os comentários na internet, nesse TikTok nojento que fez (sic) que ele chegasse a esse ponto", disse ela. "Eu estou desolada. Que Deus conforte o coração da minha família e que vocês vigiem que a internet está doente", afirmou Valkyria, abraçando um casaco do filho.

Vale frisar também que um dia antes a própria Walkyria tambéwm foi alvo de críticas após aparecer em um vídeo mostrando o resultado de seu procedimento estético que se submeteu para colocar silicone nos seios.




segunda-feira, 31 de maio de 2021

RN investiga possível caso de paciente com suspeita de contaminação com cepa indiana

Imagem de fernando zhiminaicela por Pixabay 


A Secretaria de Saúde pública do Rio Grande do Norte (SESAP), enviou para a Fiocruz e IEC _ Instituto Evandro Chagas, amostras para investigação a fim de detectar possíveis variantes da cepa indiana de Covid-19 em paciente do Rio Grande do Norte.

De acordo com Nota enviada pela Sesap RN, foi enviada uma amostra de um paciente suspeito que teve contato com outro positivo para a cepa. Caso seja confirmado, esse será o primeiro caso oficial de pessoa contaminada com a cepa da variante indiana no estado.


Fonte: Tribuna do Norte

sábado, 29 de maio de 2021

Serial Killer que matava homossexuais é preso em Curitiba e confessa crimes

José Tiago Correia Soroka, assassino de homossexuais, é preso em Curitiba

A polícia prendeu neste sábado (29), em Curitiba, o suspeito de matar e roubar três homens gays, duas na capital paranaense e uma em Santa Catarina. De acordo com o portal G1, José Tiago Correia Soroka confessou os crimes e afirmou que pretendia fazer uma vítima por semana.

Ele disse que escolhia homossexuais pela facilidade de atrair as vitimas. A polícia afirmou que, apesar de o suspeito ter negado a relação dos crimes com homofobia, os elementos do interrogatório demonstram que os crimes possuem motivação por ódio. Para a polícia, ele é um serial killer.

"Deu a entender que mexia com o lado íntimo dele, que mexia com a parte emocional dele, levando sim a entender que ele tem problemas com a questão da homossexualidade", afirmou o delegado Tiago Nóbrega ao G1.

De acordo com a polícia, todos os crimes tinham características semelhantes quanto à ação do investigado, que marcava encontros com homens gays por meio de aplicativos.

O suspeito afirmou no interrogatório que agiu de forma consciente e que explicou como matava as vítimas. José disse que aplicou um "mata leão" até as vitimas apagarem e que não sabia se elas estavam mortas ou não. As vítimas apagavam, e ele ia embora levando pertences.

"Ele disse que sempre agia do mesmo modo. Se a vítima reagisse, relutasse, ele a esganava até a morte. A questão da data, dos últimos terem sido praticados às terças-feiras, foi uma coincidência, mas que ele tinha sim o objetivo de praticar um crime por semana", disse o delegado.

Após a repercussão dos casos, conforme a polícia, o suspeito afirmou que não conseguia mais marcar os encontros porque a imagem dele ficou conhecida, mas alegou que chegou a dizer a uma possível vitima, durante as conversas no aplicativo, que era ele o serial killer que aparecia na TV.

Ainda conforme a polícia, o suspeito disse que usava o dinheiro da venda dos pertences das vítimas para comprar drogas, e que buscava mudar de local na tentativa de fugir da polícia.



Fonte: Yahoo Notícias

quinta-feira, 27 de maio de 2021

Cientistas dizem ter descoberto causa de coágulo sanguíneo pós-vacina

Imagem de Wilfried Pohnke por Pixabay 


Cientistas da Universidade Goethe, na Alemanha, afirmam ter descoberto o motivo da rara formação de coágulos sanguíneos em algumas pessoas vacinadas contra Covid-19 com os imunizantes da AstraZeneca e da Johnson & Johnson. Os pesquisadores acreditam que os riscos de reação podem ser eliminados com alguns ajustes.

Segundo o estudo publicado nessa quarta-feira (26/5) em versão preliminar – ou seja, ainda sem a revisão de cientistas independentes –, o problema pode estar nos vetores de adenovírus que as duas vacinas usam para transportar a proteína Spike do novo coronavírus ao organismo.

Ao jornal Financial Times, Rolf Marschalek, professor da universidade alemã e autor do artigo, explicou que o mecanismo de entrega usado por essas vacinas envia as sequências do gene de DNA da proteína Spike para o núcleo da célula em vez de direcioná-las para o citosol, o fluído que preenche o interior da membrana celular, onde o vírus normalmente produz proteínas.

Quando entram no núcleo da célula, algumas partes do DNA da proteína Spike se unem ou se separam, criando versões mutantes incapazes de se ligar à membrana celular onde ocorre uma importante imunização. As proteínas mutantes são secretadas pelas células no organismo e desencadeiam os coágulos sanguíneos em uma resposta muito rara, cerca de uma para cada 100 mil pessoas.


Fonte: Metrópoles

terça-feira, 25 de maio de 2021

Vírus ancestral reativado no genoma é o que leva a casos mais graves da Covid-19 , diz Fiocruz

O HERV-K é um vírus ancestral que infectou o genoma quando humanos e chimpanzés estavam se dissociando na escala evolutiva.
Imagem de Darwin Laganzon por Pixabay


O SARS-CoV-2 é capaz de reativar um vírus ancestral presente há 5 milhões de anos na linhagem evolutiva dos seres humanos, porém, na maioria das vezes, adormecido, revelou um novo estudo da Fiocruz divulgado na última sexta-feira, 21. A multiplicação do retrovírus primitivo (HERV-K) está associada não só aos casos mais graves de covid-19, mas também à mortalidade precoce pela doença, diz o trabalho. A descoberta abre caminhos para novos tratamentos dos doentes atingidos mais gravemente pela infecção pelo novo coronavírus.

“Verificamos o viroma de uma população com altíssima gravidade, em que a taxa de mortalidade chega a 80%, para ver se algum outro vírus estava coinfectando esse paciente que está debilitado, imunossuprimido”, afirmou o coordenador do estudo, o virologista Thiago Moreno, do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz). “A nossa surpresa foi encontrar esses altos níveis de retrovírus endógeno K.”

A progressão de casos brandos de covid-19 para graves é associada à hipóxia (baixa concentração de oxigênio nos tecidos), inflamação descontrolada e coagulopatia. No entanto, os mecanismos envolvidos com esses processos ainda não são bem conhecidos. Os pesquisadores decidiram então investigar quais eram os vírus presentes na traqueia dos doentes graves, em ventilação mecânica, além do SARS-CoV2. Queriam entender se outros patógenos poderiam influir no desfecho dos casos.

De março a dezembro do ano passado, os cientistas acompanharam 25 pacientes graves de covid-19. Esses internados tinham em média 57 anos e estavam em ventilação mecânica. Os testes mostraram a presença do retrovírus endógeno humano da família K (HERV-K), em comparação a exames de pacientes com casos leves de covid ou não infectados pelo novo coronavírus.

O HERV-K é um vírus ancestral que infectou o genoma quando humanos e chimpanzés estavam se dissociando na escala evolutiva. Alguns desses elementos genéticos estão presentes em nossos cromossomos. Em geral, ficam silenciosos durante a maior parte da vida. A expressão de alguns genes dessa família já foi relacionada a alguns tipos de câncer e à esclerose múltipla.

Desta vez, os cientistas comprovaram que, de alguma forma, o SARS-CoV2 foi capaz de reativar esse retrovírus. Entre os pacientes graves de covid que apresentaram altos níveis de HERV-K, o índice de mortalidade chega a 50%.

Os cientistas testaram, então, uma relação direta, infectando em laboratório células humanas saudáveis com o SARS-CoV2. Constaram um aumento nos níveis de HERV-K.

“A gente estabeleceu, de fato, que o SARS-CoV é o gatilho para o aumento desses retrovírus endógenos, para despertar os vírus silenciosos”, disse Moreno.

A hipótese a ser estudada agora é se o combate a esses vírus ancestrais pode ajudar os pacientes de covid-19 grave a se recuperarem.


Fonte: Estadão

Bolsa Família: governo Bolsonaro deve aumentar valor e número de beneficiados

Foto: Shutterstock


A ministra-chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, informou nesta segunda-feira (24) que as projeções de mudanças do Bolsa Família devem ser apresentadas nos próximos meses, com aumento de valor e de número de beneficiários.

“Não é uma questão do texto da Câmara ou o texto do governo. Não existe uma disputa de protagonismo e sim uma coisa prática, necessária e urgente, que eu acho que é a ampliação não só do valor, mas também dos beneficiários. Com essa pandemia e com o auxílio emergencial, milhões de brasileiros que eram invisíveis passaram a ser vistos pelo governo e a gente sabe da necessidade que tem dessa ampliação da distribuição de renda”, disse a ministra-chefe.

De acordo com Flávia Arruda, o governo está ciente em torno do momento que o país atravessa, mas que há muito diálogo com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ainda segundo ela, o momento é de ‘escassez de recursos’ em volta de temas que não estão ligados à pandemia. Apesar disso, o governo federal está empenhado em dar total suporte aos mais necessitados, afirmou.

“Milhares de famílias perderam o emprego, milhares de famílias passaram de pobreza para extrema pobreza, existe a possibilidade [de mudança no programa]. O cobertor é curto, mas dá para ajustar porque o presidente [Jair Bolsonaro] e o governo sabem da importância que é nesse momento da ampliação não só do valor quanto dos beneficiários”, completou.

Desde o início da gestão, o presidente Jair Bolsonaro tem reforçado a necessidade de um pente-fino no programa social para combater grupos criminosos que eventualmente usam dados falsos para se beneficiar do Bolsa Família.

No esforço de equilibrar as contas do país, o governo federal informou, no final de 2019, que conseguiu reduzir gastos bilionários ao combater fraudes e irregularidades no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e no Bolsa Família, além de extinguir vários cargos comissionados.

Segundo fontes do governo, o foco é ampliar ainda mais a eficiência pública neste ano de 2021, combatendo a corrupção e cortando uma série de privilégios e desperdícios.




Fonte: Conexão política

Dilma Rouseff é internada em hospital de Porto Alegre após sentir mal-estar

Dilma Rousseff - Foto: reprodução/Instagram


A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) passou por exames médicos depois de sentir um mal-estar na noite desta segunda-feira, 24, segundo nota publicada em seu site oficial.

De acordo com a assessoria de imprensa de Dilma, ela está fazendo exames no Hospital Moinho de Ventos, em Porto Alegre, acompanhada do médico Paulo Caramori.

A previsão é de que a ex-presidente tenha alta ainda na manhã desta terça-feira, 25, segundo a nota. A Folha de S.Paulo entrou em contato com o hospital, mas ainda não obteve retorno. A assessoria não passou mais detalhes sobre o quadro de saúde de Dilma.

A Ex-presidente acaba de atingir neste mesmo dia a marca de 1 milhão de seguidores em seu perfil do Instagram, no qual fez uma postagem em agradecimento: "Obrigada pelo carinho de vocês! Seguimos na luta por um Brasil mais justo e igualitário". Escreveu ela na legenda.

Soro produzido pelo Butantan pode fazer a diferença no combate à Covid

Vírus inativado é inoculado em cavalos, que produzem anticorpos do tipo imunoglobulina G (IgG).


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (25) a realização de testes em humanos do soro anti-Covid desenvolvido pelo Instituto Butantan. 

"O Instituto Butantan criou um Soro anti-Covid que pode acelerar recuperação e diminuir ocupação de leitos de UTI. Uma ótima notícia. A má notícia é que o Instituto enviou documentação e, mesmo sem riscos à saúde, a burocracia da Anvisa trava os testes. Falta senso de urgência", escreveu.

De acordo com o Butantan, o dossiê com as informações sobre o desenvolvimento do soro foi enviado no começo deste mês, no dia 2. Na semana seguinte, no dia 10, foram enviados os documentos específicos com o desenho do estudo clínico.

Em nota, a Anvisa disse que solicitou mais informações, que já foram respondidas e analisadas. Técnicos da agência e do instituto se reunirão na tarde desta sexta-feira (19) para discutir informações faltantes.

Até o momento, o soro havia sido testado somente em animais. Com a aprovação, o Butantan já pode iniciar os testes em humamos. Os dados dos testes feitos em animais revelaram que a terapia pode amenizar quadros graves da doença provocada pelo coronavírus.
Como funciona o soro?

O soro funciona de forma parecida com o usado para tratar picadas de serpentes peçonhentas. O vírus inativado por um processo de radiação é inoculado em cavalos, que produzem anticorpos do tipo imunoglobulina G (IgG). O plasma do sangue dos animais, então, é extraído, tratado e envasado, da mesma maneira que é feito na produção dos outros soros do Butantan.

O funcionamento é diferente do da vacina, que pretende impedir que a pessoa adoeça. "O objetivo é já dar o anticorpo pronto para o indivíduo com a doença", explica Ana Marisa Chudzinski Tavassi, diretora de inovação do Instituto Butantan. "Como o anticorpo já está pronto, tem uma resposta muito rápida. Você injeta o soro, as células da pessoa reconhecem e bloqueiam a entrada do vírus. Se ele não entrar nas células, não se multiplica, e a doença não se agrava".

Tavassi conta que, em testes com hamsters, os animais que receberam uma dose única do soro tiveram "uma queda importante" na carga viral em um dia após a aplicação. Até cinco dias depois, eles viram uma preservação da estrutura do pulmão significativa em comparação com o grupo de roedores que não recebeu a injeção.

Ela relata também que foram feitos testes de segurança com camundongos e coelhos saudáveis, aplicando uma quantidade máxima de soro para verificar se haveria efeitos colaterais. "Fizemos exames para verificar tudo, inclusive a função hepática. Não houve nenhuma alteração, nada que chamasse a atenção".

Os resultados dos testes pré-clínicos [que não são em humanos] foram muito importantes para ver que o soro tem efeito. Ele não é tóxico em animais saudáveis e, em animais com a doença, vimos efetivamente um resultado positivo", disse.

O Butantan espera usar essa terapia em casos moderados a graves da doença. "Agora, temos a vacina, mas até todos serem vacinados, acredito que seja interessante que tenhamos algo que pode ajudar. É algo que vai poder ser usado mesmo quando a pandemia acabar", afirmou Tavassi.

Imagem de Wilfried Pohnke por Pixabay 



Terapias semelhantes

Na Argentina, um soro parecido, produzido com anticorpos de cavalos e vacas, recebeu autorização especial para uso em dezembro do ano passado. Em comunicado, o governo argentino disse que a terapia reduziu em 45% a mortalidade, em 24% os dias de internação na UTI e em 36% a necessidade de ventilação mecânica.

Nos Estados Unidos, coquetéis de anticorpos sintéticos das empresas Regeneron e Eli Lilly foram autorizados no ano passado e até integraram o tratamento do ex-presidente do país, Donald Trump, quando ele foi internado com Covid-19. Há outras empresas, como a AstraZeneca e a Vir Biotechnology, que estão testando terapias com a mesma tecnologia.

Nesses casos, os anticorpos que funcionam melhor contra a doença são selecionados e reproduzidos sinteticamente, criando um coquetel altamente especializado. No entanto, essa precisão tem preço alto: esse tratamento pode variar de US$ 15 mil a US$ 20 mil nos EUA.

Tavassi, do Butantan, explica que essa é uma das maiores vantagens do soro. "É muito mais barato o que estamos fazendo. É uma tecnologia que já dominamos, temos os laboratórios, a fábrica, a fazenda com os cavalos. É isso que está na nossa mão, sem ter que importar absolutamente nada”.

Ela explica que, além disso, usar uma terapia com anticorpos mais gerais pode ter efeitos positivos. "Nessa situação em que estamos vivendo, em que ainda não deu para saber tudo sobre o vírus e como ele funciona, talvez produzir anticorpos para várias partes do vírus seja interessante. Com as variantes, ter algo que seja mais polivalente pode ajudar".


Quando fica pronto e como funcionam os testes em humanos?

A Anvisa concedeu autorização para testes do soro em humanos nesta terça-feira (25). Com isso, o Butantan já tem autorização para iniciar a testagem em humanos.

"A partir do momento que aprovar, estamos preparados para começar o ensaio. O Butantan já realizou outros testes clínicos, tem uma equipe, centros já preparados e treinados espalhados por vários cantos do país", explica.

O ensaio clínico para um soro não é a mesma coisa que o de vacinas, com milhares de pessoas que têm de ser acompanhadas por um tempo longo. “Podemos fazer com uma quantidade menor de pessoas e tempo de observação mais curto, porque o soro tem que ter uma resposta rápida, temos que perceber imediatamente que a doença não evolui".

Apesar da previsão otimista, Tavassi diz que as fases de testagem não podem ser apressadas. "Temos uma tradição enorme de produção de soros, mas esse é o desenvolvimento de um produto novo, tem de passar por todas as etapas. No final, é gente que vai ser tratada e tem que ter mais benefício do que possíveis reações. Se a gente chegar lá, damos um passo importante para o desenvolvimento científico e para a tecnologia nacional".



Fonte: CNN Brasil

Anvisa autoriza teste do soro do Instituto Butantan em humanos

Imagem de Klaus Hausmann por Pixabay 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu hoje (24) a anuência para pesquisa clínica com o soro hiperimune anti-Sars-CoV-2, desenvolvido pelo Instituto Butantan, contra a covid-19. Com isso, o instituto tem autorização para fazer o teste do soro em humanos. Até o momento, o soro foi testado somente em animais.

O teste em humanos é uma etapa chave para que o Instituto possa avançar no desenvolvimento do medicamento e, posteriormente, solicitar seu registro junto à Anvisa, condição necessária para que ele seja usado no mercado.

A autorização foi condicionada a um Termo de Compromisso que prevê a entrega de informações complementares. Para o início do estudo, o Butantan ainda deverá apresentar tais informações, que, segundo a Anvisa, não foram integralmente disponibilizadas.

No início de março o Instituto entregou à Anvisa um dossiê com dados sobre o desenvolvimento da substância. A agência fez considerações sobre o primeiro pedido.

Em seguida, no dia 10 de março, o Instituto enviou dados sobre o ensaio clínico. Em 19 de março foi realizada uma reunião sobre o protocolo clínico. No encontro, técnicos da Anvisa fizeram uma solicitação adicional de informações. Ontem o Instituto Butantan repassou respostas sobre as questões feitas na reunião.

“O objetivo da avaliação de uma proposta de pesquisa clínica é verificar se o estudo é suficiente para produzir dados confiáveis sobre a segurança e a eficácia do medicamento. Isso envolve a avaliação do desenho estatístico da pesquisa, perfil de voluntários, definição de doses que serão testadas, entre outros aspectos”, explicou a Anvisa, em nota.

O soro foi produzido a partir da inoculação do vírus inativo em cavalos. O corpo dos animais reage ao microrganismo e produz anticorpos para combater a infecção. Depois, o sangue dos equinos é coletado e esses anticorpos isolados para que possam ser usados contra a doença. O Butantan já é referência na produção de soros, como os antiofídicos, que neutralizam os efeitos de venenos de cobras, e o antirrábico, contra a raiva.

De acordo com o instituto, o soro tem potencial para evitar o agravamento dos sintomas e curar os pacientes infectados pela covid-19. Ao contrário da vacina, que busca prevenir a infecção, o soro atua no tratamento da doença. No começo do mês, o Butantan já havia divulgado que o soro demonstrou em testes pré-clínicos que é seguro e efetivo em dois tipos de estudos animais.



MAIS VISITADAS DO MÊS


POSTAGENS MAIS POPULARES EM TODO O BLOG