Mostrando postagens com marcador Saúde. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Saúde. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 24 de agosto de 2021

Agência dos EUA dá aprovação total à vacina Pfizer-BioNTech contra Covid-19


(Reuters) - A FDA, agência de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, concedeu nesta segunda-feira a aprovação total à vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Pfizer e pela parceira alemã BioNTech para utilização em pessoas com mais de 16 anos de idade.

O imunizante foi autorizado para uso emergencial desde dezembro e mais de 204 milhões de pessoas nos Estados Unidos receberam essa vacina, com base nos dados de domingo. Nenhuma das três vacinas contra Covid-19 autorizadas tinha recebido anteriormente a aprovação total da FDA.

As autoridades de saúde pública esperam que isso convença mais norte-americanos não vacinados de que a vacina da Pfizer é segura e eficaz. A hesitação na vacinação entre alguns norte-americanos tem atrapalhado a resposta dos Estados Unidos ao novo coronavírus.

"Esta aprovação da FDA deveria aumentar a confiança de que esta vacina é segura e eficaz", tuitou o presidente Joe Biden, que tenta aumentar os níveis de vacinação.

Pouco depois do anúncio da agência, o Pentágono disse que está se preparando para tornar a vacina obrigatória para os servidores do país. Autoridades de saúde acreditam que a aprovação total da FDA também levará mais governos estaduais e municipais a imporem a obrigatoriedade da vacina, assim como empregadores privados.

"Embora milhões de pessoas já tenham recebido com segurança as vacinas contra Covid-19, reconhecemos que para alguns, a aprovação de uma vacina pela FDA pode agora incutir confiança adicional para se vacinarem", disse Janet Woodcock, comissária interina da FDA.

A aprovação também torna mais fácil para os médicos indicarem uma terceira dose da vacina da Pfizer para pessoas que podem se beneficiar de uma proteção adicional contra a Covid-19.

A FDA está aguardando dados adicionais para decidir uma aprovação total do imunizante da Pfizer a crianças de 12 a 15 anos.

Woodcock disse que a FDA não está recomendando que crianças de menos de 12 anos tomem a vacina a esta altura, já que são necessários mais dados para se ter certeza de que a vacina é segura para elas.

Apenas 51,5% dos norte-americanos foram até agora totalmente vacinados. Um recente surto de infecções provocado pela variante contagiosa Delta assola partes do país com baixas taxas de vacinação.

Os EUA são os líderes mundiais em casos e mortes relatados de Covid-19. Mais de 625 mil norte-americanos já morreram da doença, incluindo uma média de mais de 600 óbitos diários nas últimas semanas.

segunda-feira, 31 de maio de 2021

RN investiga possível caso de paciente com suspeita de contaminação com cepa indiana

Imagem de fernando zhiminaicela por Pixabay 


A Secretaria de Saúde pública do Rio Grande do Norte (SESAP), enviou para a Fiocruz e IEC _ Instituto Evandro Chagas, amostras para investigação a fim de detectar possíveis variantes da cepa indiana de Covid-19 em paciente do Rio Grande do Norte.

De acordo com Nota enviada pela Sesap RN, foi enviada uma amostra de um paciente suspeito que teve contato com outro positivo para a cepa. Caso seja confirmado, esse será o primeiro caso oficial de pessoa contaminada com a cepa da variante indiana no estado.


Fonte: Tribuna do Norte

domingo, 30 de maio de 2021

Carla Diaz recebe a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Carla diaz recebe vacina - Foto: Reprodução/instagram.

Carla Diaz recebeu a vacina contra a Covid-19.  A atriz explicou porque faz parte do grupo prioritário e fez alerta aos seguidores: 'Descobri um câncer na tireóide, operei, graças a Deus deu tudo certo, porém ainda me encontro em observação médica'

"Hoje pude finalmente ser vacinada contra o vírus!". Foi assim que Carla Diaz resumiu seu sentimento ao ser imunizada com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Aos 30 anos, a atriz explicou ser do grupo prioritário, pois no ano passado descobriu um câncer na tireoide, operou e, por isso, ainda se encontra em observação médica.

"Para quem não sabe, ano passado, no meio da pandemia, descobri um câncer na tireoide, operei, graças a Deus deu tudo certo, porém ainda me encontro em observação médica, já que ainda tem poucos meses que fiz todo o tratamento. Com isso, pertenço ao grupo de risco da Covid-19, e hoje pude finalmente ser vacinada contra o vírus!"

"Essa notícia veio no dia mundial da tireoide e soube pelo meu médico cirurgião @drleonardorangel e vim compartilhar com vocês também, porque não sabia que podia ser vacinada. E, assim como compartilhei todas as informações desse meu processo do tratamento do câncer, achei importante trazer essa informação, porque imagino que, assim como eu, muitos pessoas na mesma situação podem não saber..."

Confira vídeo do perfil dela no Instagram e postagem completa:


quinta-feira, 27 de maio de 2021

Cientistas dizem ter descoberto causa de coágulo sanguíneo pós-vacina

Imagem de Wilfried Pohnke por Pixabay 


Cientistas da Universidade Goethe, na Alemanha, afirmam ter descoberto o motivo da rara formação de coágulos sanguíneos em algumas pessoas vacinadas contra Covid-19 com os imunizantes da AstraZeneca e da Johnson & Johnson. Os pesquisadores acreditam que os riscos de reação podem ser eliminados com alguns ajustes.

Segundo o estudo publicado nessa quarta-feira (26/5) em versão preliminar – ou seja, ainda sem a revisão de cientistas independentes –, o problema pode estar nos vetores de adenovírus que as duas vacinas usam para transportar a proteína Spike do novo coronavírus ao organismo.

Ao jornal Financial Times, Rolf Marschalek, professor da universidade alemã e autor do artigo, explicou que o mecanismo de entrega usado por essas vacinas envia as sequências do gene de DNA da proteína Spike para o núcleo da célula em vez de direcioná-las para o citosol, o fluído que preenche o interior da membrana celular, onde o vírus normalmente produz proteínas.

Quando entram no núcleo da célula, algumas partes do DNA da proteína Spike se unem ou se separam, criando versões mutantes incapazes de se ligar à membrana celular onde ocorre uma importante imunização. As proteínas mutantes são secretadas pelas células no organismo e desencadeiam os coágulos sanguíneos em uma resposta muito rara, cerca de uma para cada 100 mil pessoas.


Fonte: Metrópoles

terça-feira, 25 de maio de 2021

Vírus ancestral reativado no genoma é o que leva a casos mais graves da Covid-19 , diz Fiocruz

O HERV-K é um vírus ancestral que infectou o genoma quando humanos e chimpanzés estavam se dissociando na escala evolutiva.
Imagem de Darwin Laganzon por Pixabay


O SARS-CoV-2 é capaz de reativar um vírus ancestral presente há 5 milhões de anos na linhagem evolutiva dos seres humanos, porém, na maioria das vezes, adormecido, revelou um novo estudo da Fiocruz divulgado na última sexta-feira, 21. A multiplicação do retrovírus primitivo (HERV-K) está associada não só aos casos mais graves de covid-19, mas também à mortalidade precoce pela doença, diz o trabalho. A descoberta abre caminhos para novos tratamentos dos doentes atingidos mais gravemente pela infecção pelo novo coronavírus.

“Verificamos o viroma de uma população com altíssima gravidade, em que a taxa de mortalidade chega a 80%, para ver se algum outro vírus estava coinfectando esse paciente que está debilitado, imunossuprimido”, afirmou o coordenador do estudo, o virologista Thiago Moreno, do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz). “A nossa surpresa foi encontrar esses altos níveis de retrovírus endógeno K.”

A progressão de casos brandos de covid-19 para graves é associada à hipóxia (baixa concentração de oxigênio nos tecidos), inflamação descontrolada e coagulopatia. No entanto, os mecanismos envolvidos com esses processos ainda não são bem conhecidos. Os pesquisadores decidiram então investigar quais eram os vírus presentes na traqueia dos doentes graves, em ventilação mecânica, além do SARS-CoV2. Queriam entender se outros patógenos poderiam influir no desfecho dos casos.

De março a dezembro do ano passado, os cientistas acompanharam 25 pacientes graves de covid-19. Esses internados tinham em média 57 anos e estavam em ventilação mecânica. Os testes mostraram a presença do retrovírus endógeno humano da família K (HERV-K), em comparação a exames de pacientes com casos leves de covid ou não infectados pelo novo coronavírus.

O HERV-K é um vírus ancestral que infectou o genoma quando humanos e chimpanzés estavam se dissociando na escala evolutiva. Alguns desses elementos genéticos estão presentes em nossos cromossomos. Em geral, ficam silenciosos durante a maior parte da vida. A expressão de alguns genes dessa família já foi relacionada a alguns tipos de câncer e à esclerose múltipla.

Desta vez, os cientistas comprovaram que, de alguma forma, o SARS-CoV2 foi capaz de reativar esse retrovírus. Entre os pacientes graves de covid que apresentaram altos níveis de HERV-K, o índice de mortalidade chega a 50%.

Os cientistas testaram, então, uma relação direta, infectando em laboratório células humanas saudáveis com o SARS-CoV2. Constaram um aumento nos níveis de HERV-K.

“A gente estabeleceu, de fato, que o SARS-CoV é o gatilho para o aumento desses retrovírus endógenos, para despertar os vírus silenciosos”, disse Moreno.

A hipótese a ser estudada agora é se o combate a esses vírus ancestrais pode ajudar os pacientes de covid-19 grave a se recuperarem.


Fonte: Estadão

Soro produzido pelo Butantan pode fazer a diferença no combate à Covid

Vírus inativado é inoculado em cavalos, que produzem anticorpos do tipo imunoglobulina G (IgG).


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (25) a realização de testes em humanos do soro anti-Covid desenvolvido pelo Instituto Butantan. 

"O Instituto Butantan criou um Soro anti-Covid que pode acelerar recuperação e diminuir ocupação de leitos de UTI. Uma ótima notícia. A má notícia é que o Instituto enviou documentação e, mesmo sem riscos à saúde, a burocracia da Anvisa trava os testes. Falta senso de urgência", escreveu.

De acordo com o Butantan, o dossiê com as informações sobre o desenvolvimento do soro foi enviado no começo deste mês, no dia 2. Na semana seguinte, no dia 10, foram enviados os documentos específicos com o desenho do estudo clínico.

Em nota, a Anvisa disse que solicitou mais informações, que já foram respondidas e analisadas. Técnicos da agência e do instituto se reunirão na tarde desta sexta-feira (19) para discutir informações faltantes.

Até o momento, o soro havia sido testado somente em animais. Com a aprovação, o Butantan já pode iniciar os testes em humamos. Os dados dos testes feitos em animais revelaram que a terapia pode amenizar quadros graves da doença provocada pelo coronavírus.
Como funciona o soro?

O soro funciona de forma parecida com o usado para tratar picadas de serpentes peçonhentas. O vírus inativado por um processo de radiação é inoculado em cavalos, que produzem anticorpos do tipo imunoglobulina G (IgG). O plasma do sangue dos animais, então, é extraído, tratado e envasado, da mesma maneira que é feito na produção dos outros soros do Butantan.

O funcionamento é diferente do da vacina, que pretende impedir que a pessoa adoeça. "O objetivo é já dar o anticorpo pronto para o indivíduo com a doença", explica Ana Marisa Chudzinski Tavassi, diretora de inovação do Instituto Butantan. "Como o anticorpo já está pronto, tem uma resposta muito rápida. Você injeta o soro, as células da pessoa reconhecem e bloqueiam a entrada do vírus. Se ele não entrar nas células, não se multiplica, e a doença não se agrava".

Tavassi conta que, em testes com hamsters, os animais que receberam uma dose única do soro tiveram "uma queda importante" na carga viral em um dia após a aplicação. Até cinco dias depois, eles viram uma preservação da estrutura do pulmão significativa em comparação com o grupo de roedores que não recebeu a injeção.

Ela relata também que foram feitos testes de segurança com camundongos e coelhos saudáveis, aplicando uma quantidade máxima de soro para verificar se haveria efeitos colaterais. "Fizemos exames para verificar tudo, inclusive a função hepática. Não houve nenhuma alteração, nada que chamasse a atenção".

Os resultados dos testes pré-clínicos [que não são em humanos] foram muito importantes para ver que o soro tem efeito. Ele não é tóxico em animais saudáveis e, em animais com a doença, vimos efetivamente um resultado positivo", disse.

O Butantan espera usar essa terapia em casos moderados a graves da doença. "Agora, temos a vacina, mas até todos serem vacinados, acredito que seja interessante que tenhamos algo que pode ajudar. É algo que vai poder ser usado mesmo quando a pandemia acabar", afirmou Tavassi.

Imagem de Wilfried Pohnke por Pixabay 



Terapias semelhantes

Na Argentina, um soro parecido, produzido com anticorpos de cavalos e vacas, recebeu autorização especial para uso em dezembro do ano passado. Em comunicado, o governo argentino disse que a terapia reduziu em 45% a mortalidade, em 24% os dias de internação na UTI e em 36% a necessidade de ventilação mecânica.

Nos Estados Unidos, coquetéis de anticorpos sintéticos das empresas Regeneron e Eli Lilly foram autorizados no ano passado e até integraram o tratamento do ex-presidente do país, Donald Trump, quando ele foi internado com Covid-19. Há outras empresas, como a AstraZeneca e a Vir Biotechnology, que estão testando terapias com a mesma tecnologia.

Nesses casos, os anticorpos que funcionam melhor contra a doença são selecionados e reproduzidos sinteticamente, criando um coquetel altamente especializado. No entanto, essa precisão tem preço alto: esse tratamento pode variar de US$ 15 mil a US$ 20 mil nos EUA.

Tavassi, do Butantan, explica que essa é uma das maiores vantagens do soro. "É muito mais barato o que estamos fazendo. É uma tecnologia que já dominamos, temos os laboratórios, a fábrica, a fazenda com os cavalos. É isso que está na nossa mão, sem ter que importar absolutamente nada”.

Ela explica que, além disso, usar uma terapia com anticorpos mais gerais pode ter efeitos positivos. "Nessa situação em que estamos vivendo, em que ainda não deu para saber tudo sobre o vírus e como ele funciona, talvez produzir anticorpos para várias partes do vírus seja interessante. Com as variantes, ter algo que seja mais polivalente pode ajudar".


Quando fica pronto e como funcionam os testes em humanos?

A Anvisa concedeu autorização para testes do soro em humanos nesta terça-feira (25). Com isso, o Butantan já tem autorização para iniciar a testagem em humanos.

"A partir do momento que aprovar, estamos preparados para começar o ensaio. O Butantan já realizou outros testes clínicos, tem uma equipe, centros já preparados e treinados espalhados por vários cantos do país", explica.

O ensaio clínico para um soro não é a mesma coisa que o de vacinas, com milhares de pessoas que têm de ser acompanhadas por um tempo longo. “Podemos fazer com uma quantidade menor de pessoas e tempo de observação mais curto, porque o soro tem que ter uma resposta rápida, temos que perceber imediatamente que a doença não evolui".

Apesar da previsão otimista, Tavassi diz que as fases de testagem não podem ser apressadas. "Temos uma tradição enorme de produção de soros, mas esse é o desenvolvimento de um produto novo, tem de passar por todas as etapas. No final, é gente que vai ser tratada e tem que ter mais benefício do que possíveis reações. Se a gente chegar lá, damos um passo importante para o desenvolvimento científico e para a tecnologia nacional".



Fonte: CNN Brasil

Anvisa autoriza teste do soro do Instituto Butantan em humanos

Imagem de Klaus Hausmann por Pixabay 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu hoje (24) a anuência para pesquisa clínica com o soro hiperimune anti-Sars-CoV-2, desenvolvido pelo Instituto Butantan, contra a covid-19. Com isso, o instituto tem autorização para fazer o teste do soro em humanos. Até o momento, o soro foi testado somente em animais.

O teste em humanos é uma etapa chave para que o Instituto possa avançar no desenvolvimento do medicamento e, posteriormente, solicitar seu registro junto à Anvisa, condição necessária para que ele seja usado no mercado.

A autorização foi condicionada a um Termo de Compromisso que prevê a entrega de informações complementares. Para o início do estudo, o Butantan ainda deverá apresentar tais informações, que, segundo a Anvisa, não foram integralmente disponibilizadas.

No início de março o Instituto entregou à Anvisa um dossiê com dados sobre o desenvolvimento da substância. A agência fez considerações sobre o primeiro pedido.

Em seguida, no dia 10 de março, o Instituto enviou dados sobre o ensaio clínico. Em 19 de março foi realizada uma reunião sobre o protocolo clínico. No encontro, técnicos da Anvisa fizeram uma solicitação adicional de informações. Ontem o Instituto Butantan repassou respostas sobre as questões feitas na reunião.

“O objetivo da avaliação de uma proposta de pesquisa clínica é verificar se o estudo é suficiente para produzir dados confiáveis sobre a segurança e a eficácia do medicamento. Isso envolve a avaliação do desenho estatístico da pesquisa, perfil de voluntários, definição de doses que serão testadas, entre outros aspectos”, explicou a Anvisa, em nota.

O soro foi produzido a partir da inoculação do vírus inativo em cavalos. O corpo dos animais reage ao microrganismo e produz anticorpos para combater a infecção. Depois, o sangue dos equinos é coletado e esses anticorpos isolados para que possam ser usados contra a doença. O Butantan já é referência na produção de soros, como os antiofídicos, que neutralizam os efeitos de venenos de cobras, e o antirrábico, contra a raiva.

De acordo com o instituto, o soro tem potencial para evitar o agravamento dos sintomas e curar os pacientes infectados pela covid-19. Ao contrário da vacina, que busca prevenir a infecção, o soro atua no tratamento da doença. No começo do mês, o Butantan já havia divulgado que o soro demonstrou em testes pré-clínicos que é seguro e efetivo em dois tipos de estudos animais.


sexta-feira, 10 de abril de 2020

Óleo de coco: Um santo remédio para a prisão de ventre. É tiro e queda!



Constipação Intestinal é o termo correto para a terrível e tão incômoda prisão de ventre, que apesar de pouco se falar, afeta grande parte da população que sofre deste mal, e de onde grande parte das doenças são originadas. 

Não é atoa que temos hoje uma sociedade doente de tantas enfermidades, e sobretudo muitas delas tem origem sabe onde? No intestino. Isso mesmo. Grandes médicos especialistas na área garantem que manter uma boa saúde do seu intestino pode evitar inúmeras doenças, já que um intestino doente pode fazer adoecer todo o resto do corpo. 

E nisso não há nenhuma surpresa quando analisamos o padrão alimentar da população hoje em dia: poucos alimentos ricos em fibras, como vegetais e frutas, pouca água e pouquíssimo ou nenhum exercício físico. 

Há ainda o fato de que alguns medicamentos específicos (principalmente antibióticos), situações estressantes, mudanças no seu estilo de vida ou rotina, abusar de laxantes, a síndrome do intestino irritável, viajar ou alterações hormonais também podem desencadear a constipação.

Intestino delgado e intestino grosso
Imagem: Elionas2 por Pixabay



Então, o que você pode fazer para tratar a constipação?

Bons hábitos alimentares e estilo de vida saudável podem funcionar para a maioria das pessoas. Mas algumas simplesmente não melhoram, mesmo depois de mudanças radicais.

Quando isso ocorre, talvez seja uma boa hora para tentar o óleo de coco.

Vamos pensar de uma forma simples: Quando untamos uma fôrma de bolo evitamos que a massa grude na fôrma certo? O princípio é o mesmo. Sem gorduras boas que amolecem as fezes, elas ficam grudadas na parede do intestino com mais facilidade.

Incluir o óleo de coco na alimentação é a forma mais natural e barata de ajudar o intestino a funcionar corretamente. Graças à quantidade abundante de ácidos graxos de cadeia média que aceleram o seu metabolismo e estimulam seus movimentos intestinais.


A quantidade de óleo de coco a ser consumida pode variar de acordo com a tolerância da pessoa


Como tomar?

A quantidade de óleo de coco a ser ingerida pode variar de pessoa para pessoa. Sugere-se em média 1 colher de sopa por dia. Você pode tomar em jejum pela manhã, junto com um ou mais copos de água. 

Caso não queira tomar puro, pode incluir na sua alimentação de várias formas: por cima de uma fruta ou de uma salada de frutas; substituindo o azeite que você geralmente usa para cozinhar; ou até mesmo no café (sim! Fica uma delícia, e já adoça o café). 

Mas não esqueça que os bons hábitos alimentares são essenciais: muita água, muitas frutas e verduras, e poucos alimentos industrializados é a regra.

Se você tem prisão de ventre ou conhece alguém que sofre desse mal agora você já sabe que o óleo de coco é um santo remédio, e uma alternativa natural que vai ajudar e muito.


O blogueiro Ricardo Bevenuto faz uso e aprova os benefícios do óleo de coco para prisão de ventre


Por experiência própria posso afirmar que comigo o óleo de coco deu super certo, e foi o que realmente resolveu esse problema, e sem aqueles efeitos colaterais terríveis como dos laxantes que provocam cólicas e deixam as fezes muito amolecidas. Pelo contrário, o óleo de coco não provoca cólicas e nem torna as fezes pastosas, a menos que você exagere e passe do ponto. 

Na medida certa, ele parece lubrificar o intestino e estimular os movimentos intestinais naturalmente e gradativamente. Além disso, ajuda a eliminar as bactérias ruins, equilibrando assim a flora intestinal. E vale ressaltar que cada organismo pode reagir de forma diferente, então uns podem ter resultado, outros não.

Como já falado, mas só reforçando, a medida ideal pode variar, mas a dose padrão é uma colher de sopa por dia, que pode ser aumentada em até duas por dia, dependendo da tolerância do organismo. Quanto ao horário, pode ser tomado a qualquer hora do dia. 

Você pode tomar em determinados momentos do dia e ir observando como se sente. Quanto a tomar em jejum ou não, se antes ou após as refeições, vale a mesma regra, experimentar e observar como se sente, pois não é um remédio que tem hora certa para tomar, e sim um super alimento que vai melhorar a saúde em geral. 


Óleo de coco, o super alimento
Imagem de moho01 por Pixabay


Mas o óleo de coco não é gorduroso? Não vai fazer mal?

Se você é daqueles que tem medo de fazer uso do óleo de coco por achar que ele é muito gorduroso, fique tranquilo, pois ele faz parte do grupo das gorduras boas das quais o nosso organismo necessita para funcionar bem, e por isso ele só trás benefícios a nossa saúde, tanto, que é defendido por muitos médicos e nutricionistas, inclusive por um dos mais conceituados médicos brasileiros, o Doutor Lair Ribeiro, cardiologista e nutrólogo que promove a medicina natural alternativa. 


Que tipo de óleo de coco posso consumir?

Um dos pontos mais importantes para quem quer experimentar o tratamento com óleo de coco para prisão de ventre, bem como para qualquer outro problema, ou mesmo para manter a saúde em dia, é atentar para o tipo de óleo de coco a ser consumido, que não pode ser qualquer um. 

O óleo de coco que pode ser consumido não é aquele o qual vai ao fogo, pois aquele sim é perigoso se ingerido em grandes quantidades, pois quando extraído por aquecimento o óleo é transformado em gordura perigosa, servindo apenas para tratamentos de beleza ou aplicações externas. O único que serve para ser ingerido é o óleo de coco prensado a frio, e ele deve conter essa informação na embalagem, bem como também deve ter a acidez máxima de 0,3%.

Para saber mais, não deixe de ver o vídeo abaixo onde dou mais detalhes sobre o uso do óleo de coco e sobre minha experiência com ele para o tratamento da constipação intestinal.


Assista o vídeo 
no meu canal do Youtube



Visitem meus canais no Youtube: 




Obrigado a todos os leitores, inscritos e seguidores.




domingo, 22 de setembro de 2019

Resenha: LAVITAN CABELOS E UNHAS - Será que vale a pena?


Lavitan Cabelos e unhas é um suplemento vitamínico/mineral que auxilia no fortalecimento e crescimento saudável dos cabelos e das unhas e no combate a queda e a quebra dos fios. Ele é Zero calorias. De uso oral e adulto. E vem numa caixa com 30 cápsulas que devem ser consumidas 1 capsula, apenas uma vez ao dia. 

Lavitan Cabelos e unhas promove: 

· Saúde dos cabelos
· Saúde das unhas
· Tem ação antioxidante
· Rejuvenescimento capilar
· Fortalece a imunidade


Cada cápsula de lavitam Cabelos e unhas, tomada uma vez ao dia contém 100% dos valores nutricionais totais diários de cada uma das vitaminas e minerais que ele contém em sua formulação. 


CONFIRA MEUS VÍDEOS 





QUAIS SÃO AS VITAMINAS E MINERAIS QUE ELE CONTÉM?


PIRIDOXINA (VIT. B6) 

É uma das 8 vitaminas que fazem parte do chamado complexo B. Ela é uma das vitaminas essenciais para o organismo funcionar corretamente. 

Por ser uma vitamina hidrossolúvel, isto é, solúvel em água, a piridoxina não é armazenada no nosso organismo, sendo necessário um consumo regular através da dieta para que não haja deficiência. 

A piridoxina participa de diversos processos biológicos no nosso organismo. Podemos destacar alguns deles: 

· Produção de neurotransmissores essenciais para o funcionamento adequado do cérebro, tais como serotonina, dopamina e noradrenalina. 

· Formação da mielina, uma substância que envolve e protege os neurônios. 

· Participa no metabolismo de proteínas, aminoácidos, carboidratos e lipídios. 

· Atua no sistema imunológico. 

· Atua na produção da hemoglobina, substância essencial para a formação das hemácias (glóbulos vermelhos do sangue). 


BIOTINA 

É também do grupo que compõe o complexo B,e é conhecida como vitamina B7, é uma vitamina essencial, também hidrossolúvel, e está associada ao metabolismo das gorduras, carboidratos e proteínas, e atua diretamente na formação da pele, unhas e cabelos. 

A suplementação de Biotina estimula a produção de queratina, auxiliando no tratamento de unhas quebradiças e queda de cabelos enfraquecidos por quebra. Além disso, a Biotina melhora a aparência e hidratação da pele. Com isso, os cabelos e unhas ficam mais fortes, crescem mais rápido e a pele mais saudável e cheia de vida 


CROMO 

O Cromo é um mineral essencial e, atualmente, conhecido por ajudar a reduzir as taxas de colesterol ruim (LDL) e aumentar o bom (HDL), reduzir triglicerídios, e ajuda na melhora de quadros de diabetes tipo 2 devido à sua ativa participação no metabolismo de carboidratos, aumentando a tolerância à glicose ajudando no controle de açúcar no sangue. A principal função do cromo no organismo é potencializar os efeitos da insulina, o que promove a redução nos níveis de gordura corporal, a sensação de saciedade e diminui o desejo compulsivo por doces. Sendo assim, o cromo pode ajudar quem quer emagrecer porque consequentemente ele também auxilia a produção de músculos no corpo. 


SELÊNIO 

O selênio é um mineral que participa de vários processos metabólicos e possui ação altamente antioxidante atuando diretamente no interior das células combatendo os terríveis radicais livres que enfraquecem o organismo e causam diversas doenças entre elas o câncer. A ingestão adequada de selênio estimula as defesas do organismo e potencializa os efeitos antioxidantes da vitamina E. O selênio é um poderoso aliado no fortalecimento do sistema imunológico. 


ZINCO 

O principal papel do zinco no organismo acontece no sistema imunológico. "O zinco é importante tanto para a síntese de células imunológicas como em sua ação de defesa contra vírus, bactérias e fungos" 

Esse mineral é essencial para que o corpo continue funcionando de maneira eficiente. Ele nos protege e blinda de inúmeras doenças de forma preventiva e ajuda a combater outras que porventura já estejam instaladas no organismo. 

Pessoas que não consomem quantidades suficientes de zinco têm maiores chances de sofrer com ação de agentes infecciosos, e por isso, passam mais tempo doentes se comparadas com aquelas que têm uma ingestão de zinco adequada. 

O zinco também protege o organismo por ter ação antioxidante, diminuindo a quantidade de radicais livres em nosso corpo. Esse tipo de molécula, afeta negativamente as funções das células, aumentando as chances de desenvolver tipos diferentes de câncer. 


Essa foi mais uma resenha aqui no blog.
Eu espero que você tenha gostado.
Qualquer dúvida é só falar nos comentários. 
Vou adorar saber também sua opinião.

Um abraço!



quarta-feira, 11 de setembro de 2019

RESENHA: Novo Gel dental branqueador com Carvão ativado PROACTIVE - HINODE: Funciona!


O novo Gel dental branqueador PROACTIVE da Hinode cumpre o que promete e de fato irá surpreender você! A sua fórmula com Carvão ativado e Aloe vera vai deixar seus dentes branquinhos e brilhantes como você jamais imaginou, e depois disso você não vai mais querer viver sem ele. 

O carvão ativado é reconhecido pelo seu alto poder de limpeza e branqueamento dos dentes e também na sua higienização, ele também é utilizado em vários produtos cosméticos desde cremes dentais, a produtos para a pele e também capilares. 


O gel dental ProActive Hinode é elaborado com Carvão ativado e Aloe Vera

O Aloe vera também chamado de babosa é conhecido mundialmente pelo seu grande poder bactericida, fungicida e antimicrobiano e é largamente utilizado em diversos produtos de higiene e beleza. 

O  Aloe Vera deixa as gengivas mais saudáveis pois é um poderoso regenerador e antioxidante natural, com ação antitumoral e pode ser usada tanto para parte externa quanto para a parte interna do corpo humano.


A Aloe Vera é um dos ativos na composição 
do gel dental Proactive Hinode

Devido as suas propriedades antibacterianas e cicatrizantes, tem a capacidade de limpar o tecido bucal e tratar infecções ou doenças. É extraordinária no tratamento da gengivite, sangramento, cáries e mau-hálito. 

Além desses dois componentes poderosos em sua formulação, o novo gel dental branqueador PROACTIVE Hinode também chama a atenção por ser um produto de higiene bucal sem flúor, um componente que a grande maioria das pessoas acredita ser a fórmula chave para ter dentes impecáveis, quando na verdade enganam-se, pois se fizermos uma pesquisa a fundo descobriremos que o flúor além de ser algo dispensável pode fazer mais mal do que bem. 

Gel dental PROACTIVE Hinode

Esse novo gel dental da Hinode traz ainda em sua formulação um outro componente anticárie, o Xilitol ou Xylitol, que é um adoçante natural encontrado nas fibras de muitos vegetais, incluindo milho, framboesa, ameixa, entre outros, e que também pode ser extraído de alguns tipos de cogumelo. É obtido pela hidrogenação catalítica da xilose. 

O xilitol é tão doce quanto a sacarose, porém é cerca de 40% menos calórico. Os benefícios dentais do xylitol foram inicialmente estudados na década de 70, O Xylitol tem sido o foco de muitas pesquisas no campo de saúde dental por mais de 30 anos. Durante este período, sua funcionalidade e benefícios dentários foram comprovados em todas as ocasiões.




De acordo com estudos, o xilitol contribui para a saúde bucal de seis maneiras:

✔ Modulador Bacteriológico
✔ Reduzindo a incidência de cárie (quanto maior a frequência do uso ocorrem reduções na incidência de cáries na ordem de 40-100%);
✔ Estabilizando íons de cálcio e fosfato na saliva e desta forma, remineralizando os dentes
✔ Estabilizando as cáries já desenvolvidas
✔ Reduzindo o crescimento de Streptococcus mutans e Lactobacillus na saliva
✔ Estimulando a formação da saliva (sem aumentar a produção de ácidos na placa dentária) 
✔ Controlando o pH da placa e a capacidade tamponante da saliva, após o consumo de açúcar (sacarose). 


Assista o vídeo no meu canal!
Curta, comente, compartilhe. 
Inscreva-se!



Visitem e se inscrevam nos meus canais do Youtube:
 

Obrigado a todos vocês que curtem meu trabalho 


quinta-feira, 7 de março de 2019

Batata-doce: A chave para o fim da gastrite, refluxo, azia e outros problemas estomacais


Você com certeza deve conhecer uma ou mais pessoas que sofrem de sérios problemas estomacais no dia a dia não é verdade? Problemas como gastrite, azia, refluxo e até mesmo úlceras. Mas você sabia que abatata-doce pode ser a chave para o fim destes problemas que atingem milhares de pessoas em todo o mundo?  Se não sabia, agora já sabe, e tudo de maneira muito fácil e muito barata em relação aquele monte de medicamentos que os médicos costumam receitar e que muita gente até toma indiscriminadamente e durante a vida toda.

A simples receita requer apenas dois ingredientes: Batata doce e água. 

Acredite, essa receitinha é milagrosa e não é difícil você encontrar na internet inúmeros relatos de pessoas que garantem que ficaram curadas com essa receita. 

A batata-doce junto com água filtrada são capazes de curar vários tipos de distúrbios gastrointestinais.
Modo de preparação

1 - Descasque algumas batatas cruas, e corte em rodelas. 

(A quantidade é de 1 batata média a grande para cada 600 ml de água, mas  vai depender também do quanto de polvilho você quer preparar)

2 - Coloque-as no liquidificador junto com 600 ml de água mineral ou filtrada e bata. (Não se preocupe se as batatas escurecerem)

3 - Em seguida pegue um refratário e com um pano limpo coe nele a mistura. Deixe descansar por um tempo até que o polvilho se separe do líquido escuro e se deposite no fundo do refratário. A parte branca que sobrará no fundo é o polvilho.

4 - Com cuidado jogue a parte líquida fora, e fique apenas com o polvilho.

5 - Deixe o polvilho secando em um lugar seco.

6 - Assim que secar, desmanche a massa de polvilho e coloque num recipiente com tampa. 

7 - Dissolva uma colher de chá do polvilho de batata-doce em 200 ml de água e mexa bastante. Tome 3 vezes ao dia: em jejum, antes do almoço e antes do jantar.


Os resultados não vão demorar a aparecer, e com certeza você irá se livrar dos seus terríveis e tão incômodos problemas estomacais, como os que aqui foram citados.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. 
Mas são uma fonte auxiliar de cura natural alternativa que irá com certeza irá te ajudar no tratamento e cura definitiva dos seus problemas. 

Assista os vídeos abaixo.



quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Conheça os tipos de lagartas de fogo ou taturanas venenosas que podem até matar

Lagarta -de-fogo (taturana)


Elas são da Família Saturniidae (conhecidas como lagartas “espinhudas”) ou Taturanas, o nome taturana, vem do tupi antigo tataûrana, e significa "que se parece com fogo escuro".

Elas vivem em grupos e possuem cerdas urticantes em forma de espinhos, semelhantes a pequenos pinheiros distribuídos no dorso da lagarta. Têm “espinhos” ramificados e pontiagudos de aspecto arbóreo, com tonalidades geralmente esverdeadas mas que tbm podem variar dependendo da região onde são encontradas, algumas tem tons alaranjados e por isso tbm são chamadas lagartas de fogo, muitas vezes até se camurflam nas plantas que habitam. 

O gênero Lonomia Oblíqua, é a mais perigosa de todas e com ampla distribuição em todo o país, causadoras de acidentes hemorrágicos. 

Ao encostar na massa de pêlos, vem a queimadura. O efeito é imediato. A sensação é de óleo fervendo sobre a pele. No mesmo dia surgem as dores por todo o corpo, especialmente na cabeça. Entre 8 e 72 horas, começa a hemorragia. Forma-se hematomas por toda parte, dos poros às gengivas. O mais perigoso é o que menos se vê: quando há sangramento dentro do cérebro, pode ser fatal. O primeiro ataque da Lonomia obliqua foi registrado em 1989. Até então, essas devoradoras de folhas de árvores, que aparecem do norte ao sul do país, não chamavam muita atenção. 

Colônia de taturanas (Lonomia oblíqua) no tronco de uma árvore

Normalmente, os acidentes com esse tipo de lagartas ocorrem quando o indivíduo toca o animal, geralmente em tronco de árvores ou ao manusear vegetação. Pode acontecer tbm de caírem de alguma arvore sobre a pessoa. O contato com as cerdas pontiagudas faz com que o veneno contido nos "espinhos" seja injetado na pessoa. A dor, na maioria dos casos, é violenta, irradiando-se do local da "queimadura" para outras regiões do corpo. No caso da Lonomia, algumas vezes aparecem complicações como sangramento na gengiva e aparecimento de sangue na urina. 

O Instituto Butantan alerta para os perigos do contato de pessoas com os “espinhos” envenenados de taturanas (ou lagartas) do gênero Lonomia, que apenas em 2017 foram responsáveis por 741 acidentes no país, com pelo menos 6 mortes de acordo com o Ministério da Saúde. O contato com a grande maioria das lagartas provoca dor e queimação, com inchaço e vermelhidão no local atingido. Porém, o acidente com a Lonomia pode causar uma síndrome hemorrágica, até complicações graves como a insuficiência renal aguda, provocando a morte na falta de um tratamento correto. 

Atualmente, o tratamento disponível para reverter os efeitos do envenenamento é a utilização do Soro Antilonômico produzido pelo Instituto Butantan desde 1994, que inclusive, é o único produtor do medicamento no mundo. O soro é obtido a partir do próprio veneno da lagarta. 

Lonomia Oblíqua

Para produzir o soro, o Instituto recebe, anualmente, as taturanas graças ao apoio de secretarias de saúde da região Sul do Brasil onde existe maior incidência da Lonomia. Segundo Fan Hui Wen, gestora de projetos do Núcleo Estratégico de Venenos e Antivenenos do Butantan: “Existe uma cadeia de participação para a produção do soro que envolve a população, órgãos de saúde e o Instituto Butantan". 

A Lonomia é um inseto em fase larval que possui quatro estágios de desenvolvimento – ovo, lagarta, pupa e mariposa – frequentemente encontrada nos períodos de calor e chuva em troncos de árvores, camufladas e agrupadas em colônias. Somente na fase de larva a lagarta possui cerdas “espinhudas” que contêm o veneno que, em contato com a pele, causa “queimaduras”, dor local e sangramentos. Os acidentes com Lonomia nem sempre causam envenenamento e a gravidade do caso depende da quantidade de lagartas que a pessoa tocou e o quanto de veneno foi inoculado a partir do contato, se foi um contato leve ou se houve pressão sobre as cerdas.


O que fazer em caso de acidente?

  • Lavar o local com água fria ou gelada e sabão;
  • Procurar o serviço de saúde mais próximo para poder receber o tratamento em tempo oportuno.
  • A identificação da lagarta pode ajudar no diagnóstico. Se for possível colete e leve quando procurar o atendimento médico.
  • Se informar para saber quais locais próximos dispõe do soro específico na sua região.


O que não fazer em caso de acidente?

  • Não coçar o local;
  • Não tentar extrair o veneno de alguma forma;
  • Não aplicar qualquer tipo de substâncias sem comprovação que possa ser eficiente nesses casos.
  • Não ingerir nenhum tipo de substância que não seja indicado por um médico.


A incidência maior de acidentes é culpa do próprio homem. O crescimento populacional de taturanas no meio urbano é causado pelo desmatamento e as queimadas, e com isso vem o extermínio de seus predadores naturais, loteamentos sem planejamento e sem avaliação do impacto ambiental também são a causa desse desequilíbrio ecológico, o que obriga estas espécies a procurarem por outros ambientes para sobreviver, e é aí que se dá o contato com o homem. 

É importante lembrar que por mais perigosos que sejam, cada animal tem o seu papel no ecossistema e tem sua importância para a Vida na Terra. Respeitemos seus habitats naturais para não sofrermos as consequências da intervenção humana sobre a natureza.

Assista o vídeo:







MAIS VISITADAS DO MÊS


POSTAGENS MAIS POPULARES EM TODO O BLOG